A-ponte para a arte

Pergunte ao artista. Vida urbana e natureza. Vida exterior e vida interior, o que são para você? A tecnologia favorece seu trabalho? Na overdose de imagens publicitárias invadindo as mentes, todos os ambientes, os lares, as ruas, qual seria a importância da arte? Ou ainda: em tempo de excessos de comunicação (mídias ilimitadas), parece que a arte está a reboque dos acontecimentos, você concorda? Qual a novidade que a arte poderia trazer? Você se satisfaz em ser artista ou se sente limitado? Que podemos esperar de você agora e daqui a pouco? Qual será seu primeiro passo ao folhear este livro? Quanto tempo você passa pensando e pensando e pensando e sentindo e planejando antes de começar a agir? O que o motiva a trabalhar e continuar trabalhando? Seus trabalhos atuais têm sido as consequências de seus trabalhos? Eles interagem pretendidamente com as pessoas e com a sociedade? A arte é apenas um adorno? Um disfarce? É um sonho? Comente para si mesmo seus trabalhos. Na arte, o que vale mais? O que o inspira e o que não o inspira? Você se diverte? O futuro chega quando? Dá para acreditar em Goiânia? A cidade é a solução ou problema? Aonde vão dar a sua rua e a nave terra? Quais são suas preocupações como cidadão? A arte vai durar mais do que a agua? Tem caso em que arte mata a sede? Como é a experiência de trocar escalas e ao invés de uma pintura que seria vista apenas por um comprador e seus amigos, você agora pode fazer uma pintura na via pública, que é vista por milhares de pessoas diariamente? Você acredita que a arte pode mudar a cidade? E ela muda quem a vê? O que é ser o Prefeito de uma cidade obra prima? Qual o valor de sua arte, e quanto ela custa.