Px Silveira

Px Silveira, José Peixoto da Silveira Junior, brasileiro, natural de Goiânia, Goiás. 1954. Casado. Cursou Comunicação, Publicidade e Biologia, na Universidade de Brasília (UNB). É gestor cultural com especialização na França Courant / Ministère da la Culture, atua como pesquisador nas áreas de cultura e história cultural, jornalista (mantém página semanal no Diário da Manhã) e cine-documentarista; escritor ensaísta sobre artes visuais em geral. É consultor de projetos culturais, no Brasil e com atuação também na Europa. Foi assessor técnico da Secretaria de Estado da Cultura de Goiás; superintendente de patrimônio histórico da Fundação Pedro Ludovico Teixeira; coordenador de turismo do Município de Goiânia; diretor regional da Fundação Nacional de Arte (FUNARTE-Ministério da Cultura), em São Paulo; coordenador do Pontão de Cultura do Kaos (Ministério da Cultura); e diretor executivo da organização social Instituto Pensarte. Pertence ao Instituto Histórico e Geográfico de Goiás; à União Brasileira de Escritores (UBE/GO); à Associação Brasileira de Documentaristas (ABD) e à International Network for Cultural Diversity (IDC). É especialista em arte pública, tendo realizado vários projetos em Goiás e São Paulo Galeria Aberta, composta por 26 empenas de prédios; Via Sacra, entre as cidades de Goiânia e Trindade; Minha rua, por exemplo, na periferia de Goiânia; A-ponte para a arte, na marginal Botafogo, Praça das Artes; Praça da Inspiração; e Elevado à arte, em São Paulo, entre outros). Autor dos livros. Arte Hoje – o processo em Goiás visto por dentro, editora Marco Zero, SP; A Arte no Altar, editora PUC/GO; Conhecer Confaloni; A reflexão da gravura; Amaury-Cidade e Poteiro na primeira pessoa, pela Editora Kelps, entre outros. Entre seus filmes documentários estão Nove Minutos de Eternidade: vida, corpo e obra de DJ Oliveira; Monumento às nações indígena, sobre os 500 anos de ocupação do Brasil, com o artista Siron Franco; Pedro Fundamental, sobre a fundação de Goiânia; A grande roubada e Amianto, I lobby you, sobre a questão do amianto no Brasil. Premiações: prêmio de monografia Frei Nazareno Confaloni, pela PUC/GO. Prêmio Mário Pedrosa, da Associação Brasileira de Críticos de Arte (UNESCO). Prêmio Tiokô, da União Brasileira de Escritores (UBE-GO). Prêmio júri popular no Festival de Cinema de Bonito/MS. Prêmio Rupturar-te e Inédito Banal, da UBE-GO. Prêmio redação criativa, do Diário da Manhã. Troféu Persona, personalidade do ano na cultura.